GPA assume compromissos de bem estar animal

sabado, 14 de Maio, 2017

Companhia garante que, até 2025, 100% dos ovos comercializados pelas suas marcas próprias serão provenientes de criação de galinhas sem gaiolas

O Grupo GPA é o primeiro grande varejista brasileiro a assumir um compromisso público pelo bem-estar animal na produção de ovos. A companhia se compromete a viabilizar, até 2025, a comercialização de 100% de ovos de marcas exclusivas provenientes de criação de galinhas sem gaiolas. Hoje, o portfólio de ovos de marcas próprias da companhia é formado por Taeq (com uma linha orgânica) e Qualitá (caipiras e convencionais). A venda dos ovos de marcas próprias responde por até 80% da comercialização da categoria nas lojas Extra e Pão de Açúcar, representando, portanto, um importante avanço na discussão do assunto com a cadeia produtiva no país.

O compromisso, publicado em 27 de março de 2017, vem a somar às iniciativas já realizadas pelo GPA, por meio das marcas Assaí, Extra e Pão de Açúcar, para colaborar com o bem-estar animal na cadeia produtiva brasileira. O Grupo já oferece produtos caipiras e orgânicos, que garantem a criação sem gaiolas, e também possui um programa próprio (Programa Evolutivo de Qualidade - PEQ) para os seus fornecedores de marcas exclusivas, que visa o desenvolvimento dos mesmos e estabelece o atendimento às práticas de bem-estar animal e da legislação específica do setor.

Como próximos passos, a companhia instituirá um plano de implementação progressivo, a fim de cumprir as diretrizes, objetivos e metas desta política, sempre respeitando o poder de escolha do cliente. Assim, a partir deste ano, o PEQ terá um aprimoramento do seu protocolo de auditorias, passando a integrar conceitos internacionais em práticas relacionadas a bem-estar animal. Além disso, o GPA lançará novas linhas de produtos "sem gaiola" e reforçará comunicação em lojas para informar o consumidor sobre os diferentes tipos de produtos e modos de criação. Por fim, a companhia iniciará um plano de colaboração com a cadeia produtiva, assim como os órgãos públicos, para encorajar a criação de normas que regulamentem a produção de ovos de galinhas sem gaiolas.

Hoje, o grande varejo representa menos de 10% da venda de ovos no país. Dessa forma, ao tornar público seu compromisso, o GPA espera engajar o mercado para que também evolua na discussão do assunto e inicie uma transição complexa, considerando a situação econômica atual do país e as características do setor produtor com baixa oferta de produtos provenientes de produção livre de gaiolas.

(#Envolverde)

Por Dal Marcondes